23 de dez de 2009

Anvisa exige que embalagens tenham nome de remédio em braile

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou nesta quarta-feira que os rótulos dos medicamentos deverão trazer o nome do produto em braile. A mudança pretende garantir a acessibilidade e segurança no uso dos remédios por pessoas com deficiência visual e faz parte de uma resolução publicada no Diário Oficial da União de hoje.

As empresas têm 540 dias para disponibilizar as novas embalagens no mercado. Além da exigência da impressão em braile, informações como número do lote, data de validade e data de fabricação do medicamento deverão estar impressas em tinta colorida. O uso de baixo e alto relevo fica proibido. Caso necessário, os rótulos deverão alertar se o remédio tem prazo de validade reduzido após a abertura.

Os laboratórios só poderão utilizar figuras nas embalagens se tiverem alguma finalidade de auxiliar no uso do medicamento. Outras figuras que possam causar confusão ao paciente ou induzir ao uso inadequado do produto não serão permitidas.

A resolução prevê ainda a inclusão de elementos nos rótulos que possibilitem o rastreamento do produto desde sua fabricação até a venda. A partir do momento em que os mecanismos estiverem implantados, a embalagem não precisará mais apresentar a tinta reativa (conhecida como "raspadinha") que comprova a origem do medicamento.
Fonte: Terra

14 de dez de 2009

Projeto Preparar para Incluir forma 41 pessoas com deficiência na Zona Sul

O Instituto Paradigma, em parceria com o Instituto Camargo Corrêa e a CNEC Engenharia, entrega na próxima quinta-feira, dia 17, o certificado de conclusão do curso de qualificação profissional do projeto Preparar para Incluir, destinado a pessoas com deficiência residentes na Zona Sul, em São Paulo. A cerimônia terá início às 8h30, na Casa Popular de Cultura M´Boi Mirim (Rua Inácio Dias da Silva, s/n, próximo à Praça da Piraporinha e à estrada M´Boi Mirim), com a presença de Francisco Azevedo, diretor executivo do Instituto Camargo Correa, José Ayres de Campos, superintendente da CNEC Engenharia, Luiza Russo, presidente do Instituto Paradigma, e Thais Certain, mediadora.

O curso teve início em maio deste ano, desdobrando-se por três turmas que totalizaram 60 pessoas. Destas, 41 chegaram ao final dos módulos e vão receber o certificado. Segundo os organizadores, uma das principais conquistas deste projeto foi a articulação das oportunidades existentes na região, ampliando as possibilidades de trabalho e geração de renda aos alunos. “Eles puderam entrar em contato com oficinas e projetos locais de acordo com seu próprio interesse (panificação, artesanato, marcenaria etc.). Em contrapartida, essas organizações puderam encaminhar alguns de seus beneficiários para o módulo de empreendedorismo do projeto Preparar para Incluir, numa verdadeira troca de conhecimento e de oportunidades”, afirma Luiza Russo, presidente do Instituto Paradigma. Segundo ela, a articulação de uma rede de organizações na região permitiu disseminar um ambiente de aprendizagem inclusivo e ampliar as experiências destas organizações em relação à convivência com as pessoas com deficiência nos seus projetos. “Além disso, a constituição da rede possibilita a sustentabilidade da prática proposta pelo Preparar para Incluir e sua continuidade, independente da continuidade do próprio projeto”, explica.

“Sabemos da dificuldade das empresas em cumprir a legislação. Com este projeto, estamos colaborando duplamente com a sociedade ao capacitar pessoas e, ao mesmo tempo, pessoas com deficiência”, diz José Ayres de Campos, diretor-executivo da CNEC Engenharia. Segundo Francisco Azevedo, diretor executivo do Instituto Camargo Corrêa, “Com certeza esses alunos estão saindo daqui com uma perspectiva de futuro maior do que entraram, pois além de capacitar para o trabalho formal, o curso também prepara o aluno para empreender negócios próprios”.

O projeto Preparar para Incluir integra o Programa Futuro Ideal, realizado pelo Instituto Camargo Corrêa em outras 21 cidades brasileiras e em Luanda, em Angola, cujo foco é oferecer oportunidade de inserção do público juvenil no mercado de trabalho.
Fonte: Inclusive

7 de dez de 2009

Daniela Mercury só fará shows com acessibilidade garantida

A cantora Daniela Mercury, que a partir de hoje se tornará cidadã paulistana, está dando um show social e politicamente correto. A baiana acaba de se comprometer com a vereadora Mara Gabrilli a só se apresentar em locais em que o acesso a pessoas com deficiência estiver garantido.

A informação é da assessoria de Mara Gabrilli. O evento de hoje acontecerá no Bar Brahma, às 18h30. Mara resolveu propor o nome de Daniela à Câmara "pelo conjunto da obra", ou seja, pelos projetos sociais e pela qualidade artística de Daniela, conta a assessoria.

Fonte: Terra

5 de dez de 2009

Memorial da Inclusão

A cidade de São Paulo passou a sediar o único, maior e mais completo memorial que resgata os personagens, as lutas e as conquistas pelos direitos da pessoa com deficiência da América Latina. O Memorial da Inclusão reunirá, em um só espaço, fotografias, documentos, manuscritos, áudios, vídeos e referências aos principais personagens, às lutas e às várias iniciativas que viabilizaram conquistas e melhores oportunidades às pessoas com deficiências.

O local visa também registrar e resgatar um dos períodos mais importantes da história sócio-cultural e política do movimento de luta das pessoas com deficiência, que ocorreu no início dos anos 80 e que culminou, em 1981, com a criação do Ano Internacional da Pessoa com Deficiência (AIPD), pela ONU.

Um dos destaques do lugar, a Sala Preparatória dos Sentidos, será um local escuro, com painéis de texturas diversas, alteração de temperatura e sensores sonoros e de odor. A ideia é a de que o visitante reflita sobre a importância dos sentidos como tato, visão e audição. Outra novidade foi a instalação de sound tubes, para pessoas com deficiência visual que não leem em braile. Ao se colocar sob estes equipamentos, que fazem a audiodescrição dos painéis, a pessoa poderá ouvir toda a história contada na obra. Ainda sob o sound tube, há uma bancada com o texto em braile.
Fonte: Guia SP

3 de dez de 2009

Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

O mundo celebra hoje, dia 3 de dezembro, o Dia Internacional das Pessoas com Deficiências. Segundo comunicado emitido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos, a data serve para relembrar a importância da ratificação da Convenção pelos Direitos dos Deficientes, que entrou em vigor em maio de 2008.

Vinte países ratificaram o tratado o ano passado, número que aumentou para 75 em 2009. A Convenção garante a melhora nas vidas de 650 milhões de pessoas com deficiências no mundo. Segundo o Comitê pelos Direitos das Pessoas com Deficiências, órgão independente do Alto Comissariado formado por especialistas no assunto, ainda há muito progresso para ser feito.


O Comitê cita a privação pelo direito de agir como um dos exemplos, já que os deficientes tem quase sempre seu poder de decisão transferido para outra pessoa em tribunais e processos legais.

A gerente de atendimento especializado da Fundação Dorina Nowill para Cegos, Maria Cristina Felippe, disse à Rádio ONU, de São Paulo, que o Brasil tem mais de 16 milhões de deficientes visuais, de acordo com dados do IBGE. Ela afirmou que é preciso focar no potencial dessas pessoas. "Nós temos que olhar o deficiente visual ou qualquer deficiência, a pessoa com deficiência, olhar as suas potencialidades porque as perdas existem. Mas, antes de tudo, por ser uma pessoa, ela tem grandes possibilidades e é atrás da potencialidade que nós temos que ir em busca", afirmou. O cantor e compositor Stevie Wonder, cego desde o nascimento, será nomeado oficialmente nesta quinta-feira Mensageiro da Paz da ONU.

Fonte: O reporter

2 de dez de 2009

SP promove inclusão das pessoas com deficiência nos serviços públicos

Às vésperas do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, a Secretaria de Gestão Pública do Estado de São Paulo apresenta alguns serviços, iniciativas e programas dedicados a facilitar a vida de quem tem necessidades especiais, cerca de 4,2 milhões de pessoa, segundo o IBGE.

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, 3 de dezembro, foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com a finalidade de conscientizar e sensibilizar a sociedade e o poder público para a igualdade de oportunidades a todos. Tais oportunidades no acesso a prédios públicos e de uso público, aos transportes, à educação, ao emprego e às informações e devem ter características distintas para as pessoas com deficiência física, mental, visual e auditiva.

Dos 4,2 milhões de pessoas com deficiência no Estado de São Paulo, 2,6 milhões têm deficiência visual. O Projeto Leitura, no posto do Poupatempo em Itaquera, zona leste de São Paulo, presta serviços a este segmento da população. O projeto proporciona acesso às informações que não são publicadas em Braille ou em livro falado. Os cidadãos levam diferentes materiais para serem lidos, como livros didáticos, apostilas de cursos, revistas, cartas, resultados de exames e receitas médicas, por exemplo. Voluntários do programa Escreve Cartas foram especialmente treinados para fazer este atendimento, que acontece às quartas-feiras em uma sala de leitura com isolamento acústico no Poupatempo de Itaquera.

As pessoas com deficiência visual também são o público-alvo dos cursos de capacitação profissional no posto do Acessa SP em parceira com a Associação de Deficientes Visuais e Amigos (Adeva), na Vila Clementino, zona sul de São Paulo. Os dez computadores do posto são equipados com o Virtual Vision, um programa sintetizador de voz que permite a navegação pelo ambiente Windows. No momento, cinco pessoas estão aprendendo a usar o programa, sendo que quatro delas já estão contratadas por empresas, que buscam profissionais com esse perfil.

No Poupatempo Itaquera está instalado um dos Terminais de Acessibilidade do e-poupatempo, que possibilitam a cidadãos com vários tipos de deficiência a utilização de serviços públicos por meio da internet. O serviço já estava disponível no Poupatempo Guarulhos e foi ampliado para as salas do e-poupatempo dos postos de Itaquera, Santo Amaro, São Bernardo do Campo, Ribeirão Preto e Campinas Shopping. Além dos programas tradicionais, necessários para acesso à internet, os terminais contam com software leitor de tela - que se comunica com o usuário mediante síntese de voz; além de uma webcam de alta definição, que permite que usuários paraplégicos ou com deficiência nos membros superiores usem o computador apenas com movimentos da cabeça e da face. "O conceito de atendimento do Poupatempo tem como princípio que todos são iguais sem distinção de qualquer natureza. Assim, o programa trabalha buscando o acesso universal em seus postos, preocupando-se com a acessibilidade arquitetônica, da informação e da comunicação", disse o secretário de Gestão Pública, Sidney Beraldo.

A deficiência auditiva, caracterizada pela incapacidade ou dificuldade permanente de ouvir, atinge mais de 984 mil paulistas, segundo o IBGE. Para atender à população com deficiência auditiva, todas as 15 unidades do Programa Poupatempo estão aptas a realizar o atendimento aos cidadãos por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras) utilizada para comunicação entre pessoas com deficiência auditiva. No posto de Santo Amaro, zona sul de São Paulo, por exemplo, são feitos cerca de 20 atendimentos em Libras por dia. Lá, como em outros postos, funcionários que dominam a técnica realizam cursos de capacitação de Linguagem Gestual periodicamente. O treinamento dura dois meses. "O sucesso é tanto que temos uma lista de funcionários interessados em aprender", afirma a atendente Andréa Gregorini, que é uma multiplicadora de Libras e também fundadora do coral que usa o mesmo recurso. Cerca de vinte funcionários ensaiam duas vezes por semana no Poupatempo Santo Amaro e se apresentam em datas comemorativas e eventos. O repertório eclético vai de músicas de Axé a canções de Natal, unindo sons e gestos. Quem não é funcionário do Poupatempo, mas também quer aprender a se comunicar com as pessoas com deficiência auditiva pode participar de uma das oficinas de Libras no Posto do Acessa SP do Parque da Juventude. São dois módulos com doze aulas cada, duas vezes por semana. As aulas são gratuitas e as próximas turmas serão abertas em janeiro.Também no Parque da Juventude, o Acessa SP conta com uma sala especialmente dedicada aos cidadãos com deficiência auditiva e visual, com dez máquinas. Os monitores atendem a quem não ouve em Libras e o software específico atende às necessidades de quem tem problemas de visão.
Fonte: O Reporter

Hopi Hari promove o dia nacional das pessoas com deficiência

O Hopi Hari irá sediar, dia três de dezembro, o lançamento oficial do dia nacional da pessoa com deficiência em parques e atrações turísticas. Na ocasião, o parque estará aberto com exclusividade para receber oito mil pessoas com deficiência, assistidas por 83 instituições de 31 municípios do Estado de São Paulo.

O projeto conta com um mascote, o personagem Luca, menino cadeirante criado por Maurício de Sousa para a Turma da Mônica. A intenção é que todos os complexos de lazer "abracem" a ação social e que seja possível realizar em 2010 a maior ação social de inclusão de deficientes do país, beneficiando simultaneamente 100 mil pessoas com deficiência. A ação foi idealizada pelo Sindepat (Sindicato Nacional de Parques e Atrações Turísticas) e pela Adibra (Associação Brasileira das Empresas de Parques de Diversão do Brasil).
Fonte: Mercado e Eventos

30 de nov de 2009

APDE e Sesc São José celebram Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

A APDE (Assessoria de Políticas para Pessoas com Deficiência) e o Sesc (serviço Social do Comércio) de São José dos Campos vão celebrar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, comemorado em 3 de dezembro, com um grande evento que tem como mote a inclusão social.

O evento começa às 19h na sede do Sesc e contará com várias atrações, como o início oficial dos treinos da nova equipe de basquete adaptado de São José dos Campos. A equipe fará seu primeiro ‘clássico’ regional contra a seleção de Taubaté durante uma partida de exibição. O time joseense será comandado pelo técnico e psicólogo Pablo Moya Ruiz de Abreu.

Na oportunidade, os atletas receberão dez cadeiras de rodas novas, especialmente projetadas à prática do esporte. O equipamento será disponibilizado a todos que se interessarem pela modalidade. Antes do jogo, entretanto, haverá um coquetel especial aos convidados, que terão a oportunidade de assistir a um concerto de piano. Os alunos do grupo Síndrome Hip Hop, da Asin (Associação Síndrome de Down de São José dos Campos), também vão fazer parte da “preliminar” da partida de basquete adaptado com uma emocionante apresentação de dança.

O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência é uma data comemorativa promovida pela ONU desde 1998, com o objetivo de promover uma maior compreensão dos assuntos concernentes à deficiência e para mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e o bem estar das pessoas. Procura também aumentar a consciência dos benefícios trazidos pela integração das pessoas com deficiência em cada aspecto da vida política, social, econômica e cultural.
Sesc – São José dos Campos
Avenida Adhemar de Barros, 999
Jardim São Dimas
Fonte: Vale Notícias

26 de nov de 2009

SERÁ QUE É PEDIR DEMAIS?

SERÁ QUE É PEDIR DEMAIS?
Eu só quero ter o direito de ir e vir.
Mas com nossas calçadas (Quando existem e não estão destruídas) ocupadas por automóveis,
barracas, bancas, entulho, lixo, cadeiras, motocicletas, material deconstrução, muretas, placas, etc ..., fica difícil ou quase impossível passar.
O direito de ir e vir de todos os cidadãos deve ser respeitado. Não falo em meu nome, mas de todos.
Pessoa com deficiência física, seja ela cadeirante, usuária de muletas, deficiente visual, pessoa com carrinho de bebê, pessoa idosa, pessoa com carrinho de compras, ou qualquer pessoa, com dificuldade de locomoção ou não.
Até você que obstrui a calçada, deve se incomodar quando precisa passar e não consegue, pois elas são estreitas ou irregulares, quando não são inclinadas, escorregadias se molhadas, enfim. Parece exagero, mas se não conseguimos resolver coisas aparentemente tão simples, como vamos cobrar de nossos governantes? Às vezes nem saio de casa!
(Leandro Maia Gonçalves)


Leandro, obrigada pelo envio do texto! Muito bom!
Um ótimo exemplo de alguém que realmente se preocupa e se interessa por um mundo mais acessível, ideal para todos!

25 de nov de 2009

Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Faculdade de Medicina da USP inauguram centro de treinamento de cães guia

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência assinaram convênio para criação do Centro de Estudos do Cão Guia e inauguração do Centro de Treinamento de Cães Guia, no dia 24 de novembro de 2009, às 17:00 horas, no Anfiteatro "Altino Antunes".

Durante a solenidade estavam presentes A Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Profa. Dra. Linamara Rizzo Battistella, e o Diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, Prof. Dr. José Antonio Visintin.
De acordo com o Censo 2000 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dos 24,6 milhões de brasileiros que declaram ter deficiência, 48,1% apresentam algum tipo de deficiência visual. As raças mais usadas como cão-guia no Brasil são o labrador e o pastor alemão, por serem dóceis e apresentarem grande capacidade de adaptação.

O treinamento chega a durar 18 meses e compreende a escolha do filhote, a ambientação em locais fechados e abertos até a fase de adaptação do cão com o seu novo dono. No treinamento é feita a socialização do cão, para que ele se acostume a andar em locais com movimento como: metrôs, escadas rolantes, shopping centers, ônibus, entre outros.
Fonte: Sentidos

24 de nov de 2009

Jovens com Down expõem suas obras no MuBE

O artista plástico Gustavo Rosa é conhecido por ter uma pintura lúdica e divertida, com personagens que poderiam, sim, estar num livro infantil. Os jovens da foto ao lado encontraram nos traços do pintor a inspiração necessária para produzir as primeiras telas. Thiago Carvalheiro, de 19 anos, Lisandra Martins, de 24, Marcelo Lira, de 26, e Isumi Matsuyama, de 12, sofrem de síndrome de Down. Têm dificuldades e talentos diversos. A diferença de idade entre eles não pesa. Apesar de alguns já serem adultos, ainda têm a ingenuidade comum às crianças expressa na face, no coração e nos sonhos. E, assim, formam um grupo coeso.

Eles estão entre as 240 pessoas com deficiência mental assistidas pelo Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, que desenvolveu o projeto Pintou a Síndrome do Respeito, em parceria com Gustavo Rosa. Durante dois meses, o artista deu aulas às crianças. Em contrapartida, ganhou a edição do livro A Penúltima Visão da Realidade, com texto de Jacob Klintowitz (154 páginas, R$ 149,90). A obra será lançada amanhã no Museu Brasileiro de Escultura (MuBE), nos Jardins, zona sul de São Paulo, junto com a primeira exposição dos alunos. "Eles produziram trabalhos tão interessantes que resolvemos exibi-los", diz Rosa, que há dez anos recebe crianças em seu ateliê e dá aulas. "Eu gosto de brincar quando estou pintando. Além disso, aprendi muito com elas.

Um cachorro tomando sorvete, o homem lâmpada, a mulher com um olho verde e outro vermelho, e uma enfermeira são alguns dos personagens nas telas. No início, os jovens reproduziam com interpretação própria alguns dos quadros. "A minha enfermeira ficou perfeita", diz, sem modéstia, Thiago, garoto articulado, que procura ajudar os demais a se expressar verbalmente. "Mas o desenho dele que eu gosto mais é o do gato." Além da pintura, Thiago faz natação e tem aulas de baixo. Toca de KLB a Sepultura. Atividades que, segundo ele, fazem "muito bem". A mãe, a advogada Maria Lúcia, já adquiriu um espírito zen para as horas de ensaio do filho. "Minha mãe não gosta de nada. Ela só gosta de mim."

O nonsense faz parte da obra de Rosa. Um rosto pode ter três olhos, um de cada cor, boca verde e dois narizes. As crianças vão além da imaginação do autor. "Tenho um com tucano que eles acrescentaram uma boca. O bico já é boca, mas eles acharam pouco", conta Rosa. "Roubei a ideia deles. Agora, quando desenho tucano faço o mesmo."

Cores fortes e pinceladas sem compromisso foram feitos primeiro em papel. Rosa recortou as figuras, fez um fundo para cada uma das telas, e colou o trabalho de cada jovem. E os quadros estarão à venda. Custam de R$ 30 a R$ 400. O dinheiro será revertido para o instituto. Dos quatro jovens, a única que quer seguir carreira em artes plásticas é Isumi. "Para ela é muito fácil pintar. E ela pinta tudo, até a lição de casa", diz a mãe, a engenheira Cristina. Lisandra quer ser cantora, Thiago músico, e Marcelo, esportista - todos, sem exceção, querem ser famosos.

POSTURA
"A arte faz muito bem para a autoestima deles", explica Olga Kos, diretora do instituto. Gustavo é o quinto artista que participa do projeto. Eles já tiveram aula com Eduardo Iglesias, Marisa Portinari, Isabelle Tuchband e Inácio Rodrigues. "Há aluno que mudou até a postura física, que andava arqueado, olhando para baixo e falava pouco", conta Olga. "Agora, está com as costas eretas e até conversa bem ao telefone."

MuBE: Av. Europa, 218; tel.: 2594-2601; das 10 às 19 horas. Até dia 29
Fonte: Estadão - Valéria França
Imagem: Paulo Liebert

21 de nov de 2009

YouTube terá legendas automáticas

O Google anunciou nesta quinta-feira (19) que os sites Google Video e YouTube agora terão legendas automáticas geradas por computador. Os sites já possuem um sistema de legendas ocultas, que podem ser ativadas ou desativadas pelo internauta, que foi introduzido no Google Video em 2006 e depois disponibilizado também no YouTube. Nesse sistema, entretanto, os textos precisam ser produzidos pelos usuários e isso demanda um certo conhecimento técnico. "Hoje eu estou mais esperançoso do que nunca de que nós vamos atingir o nosso objetivo de, a longo prazo, tornar os vídeos universalmente acessíveis", escreveu o engenheiro de software Ken Harrenstien, que é surdo, no blog oficial do Google.

Um dos principais objetivos de colocar legendas nos vídeos do YouTube é aumentar o acesso de deficientes auditivos a esses conteúdos. A quantidade de vídeos colocada diariamente no YouTube , entretanto, é muito grande para que usuários consigam produzir legendas para todos eles. Muitos vídeos ainda são inacessíveis para pessoas como Harrenstien. Com a legenda automática, por outro lado, Harrenstien poderá, no futuro, assistir a quase qualquer vídeo que esteja no site. As legendas também servem para que, com o auxílio de um sistema de tradução automática já disponível, pessoas que não falem determinada língua possam entender um vídeo falado neste idioma. Além disso, as legendas também melhoram o sistema de busca do site, permitindo, por exemplo, que um usuário possa pular exatamente para a parte de um vídeo que lhe interessa. Segundo Harrenstien, os engenheiros combinaram o sistema de reconhecimento automático de fala do Google (ASR, na sigla em inglês) com o sistema de legendas do YouTube para desenvolver a nova ferramenta. "As legendas nem sempre serão perfeitas, mas mesmo desligadas ainda podem ser úteis - e a tecnologia vai continuar melhorando com o tempo", escreveu Harrenstien.

Junto com as legendas automáticas o Google também está lançando uma ferramenta de sincronia automática, para tornar mais fácil a criação de legendas manualmente. Segundo Harrenstien, com essa ferramenta será necessário criar apenas um arquivo de texto com todas as palavras faladas no vídeo que o sistema ASR descobrirá sozinho quando elas são faladas para produzir legenda. Ambas as ferramentas só estarão disponíveis em inglês por enquanto, e a de legendas automáticas só poderá ser acessada em alguns canais de parceiros do Google (UC Berkeley, Stanford, MIT, Yale, UCLA, Duke, UCTV, Columbia, PBS, National Geographic, Demand Media, UNSW e nos canais próprios do Google e do YouTube). A ideia é disponibilizar o serviço para um número maior de usuários apenas depois de implementar a ferramenta, que, Harrenstien concorda, não é perfeita.

Confira vídeo (em inglês) com a demonstração da nova ferramenta:
Fonte: Revista Época

19 de nov de 2009

Ministério do Turismo participa de seminário sobre acessibilidade

Representantes do Ministério do Turismo participam na próxima sexta-feira (20/11), em Goiânia (GO), do seminário "Turismo e as Pessoas com Deficiência". O evento faz parte da programação do Reacess 2009, um espaço de debates sobre inclusão social que tem apoio do MTur. Entre os dias 20 e 22 de novembro, no Centro de Convenções de Goiânia, os visitantes poderão conhecer produtos, projetos e tecnologias destinadas a pessoas com deficiência e idosos.

Durante o seminário, serão apresentados programas e ações do ministério criados para esse público. Entre eles, o programa Viaja Mais Melhor Idade (VMMI) que, entre os meses de março e outubro de 2009, comercializou 140 mil pacotes, gerando uma movimentação financeira de aproximadamente R$ 126 milhões.

Durante o Reacess 2009, o MTur distribuirá gratuitamente exemplares do Manual de Orientações de Turismo e Acessibilidade, que reúne normas e informações sobre a adequação de equipamentos turísticos para pessoas com deficiência. De acordo com o coordenador de Segmentação do MTur, Wilken Souto, o objetivo da ação é sensibilizar os prestadores de serviços turísticos a se adaptarem para receber pessoas com deficiência.

Segundo ele, a escolha do Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 foram algumas das razões que motivaram a iniciativa. "São eventos muito importantes e o Brasil deverá estar preparado para receber todos os turistas, sem distinção", explica.

Fonte: Mercado e Eventos

18 de nov de 2009

Prefeitura de São Paulo cede terrenos e assume custeio de duas novas unidades da AACD

A Prefeitura de São Paulo, por meio das secretarias da Pessoa com Deficiência e Mobilidade reduzida (SMPED) e da Saúde (SMS) formalizou no último dia 24 de outubro, durante o programa beneficente Teleton, a cessão de dois terrenos – cada um de aproximadamente 5 mil m2 – nas zonas Sul e Norte da Capital, para construção de duas novas unidades da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD). O poder público municipal também assumirá, via SUS, o custeio das novas unidades, que juntas terão capacidade para atender cerca de 430 pacientes por dia, reduzindo em 20% a fila de espera atual da instituição, que realiza 630 mil atendimentos por ano.

O secretário de SMPED explicou que o acordo é estratégico para a cidade, uma vez que a AACD já recebe, por meio de convênio, parcela importante dos pacientes com algum tipo de deficiência motora e seqüelas de acidentes e violência urbana que chegam à rede municipal de saúde. A área na zona Sul está localizada entre a Rua Miguel Yunes, 491, no bairro de Campo Grande / Interlagos. Já o terreno da zona Norte fica no bairro de Santana, à Avenida Zaki Narchi, 356. As duas novas unidades devem entrar em operação até o final de 2010.
Ilustração: Logotipo do Teleton em letras coloridas com o personagem Tonzinho

17 de nov de 2009

A Bíblia em Áudio em MP3 é lançada em 9 de novembro, no Rio de Janeiro


A partir de agora as pessoas com deficiência visual, que não sabem ler em Braille também terão acesso ao texto do antigo testamento. Gravada na íntegra pelo jornalista Cid Moreira, a Bíblia será distribuída gratuitamente através do Programa Inclusão do Deficiente Visual da Sociedade Bíblica do Brasil (www.ssb.org.br). Com mais de 15 anos de existência, o programa visa garantir a este público o acesso às Sagradas Escrituras.

A gravação completa da Bíblia, projeto inédito que uniu a Sociedade Bíblica do Brasil à célebre voz de Cid Moreira, é resultado de cinco anos de dedicação. Apresentada em formato MP3, a Bíblia em Áudio, na Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH), é a única versão gravada deste texto bíblico, preparado especialmente para ser lido em voz alta, propiciando fácil entendimento. É apresentada em dois formatos - 9 CDs-ROM ou 1 DVD - e reúne mais de 135 horas de gravação, que remetem o ouvinte aos tempos bíblicos com o auxílio de uma trilha sonora exclusiva.
O lançamento da Bíblia em Áudio aconteceu no dia 9 de novembro, no Centro de Convenções do Barra Shopping, no Rio de Janeiro, com a presença de Cid Moreira. Para Cid Moreira, a Bíblia em Áudio representa a realização de um sonho. "O apóstolo Paulo diz que a fé vem pelo ouvir. Então a minha vida não foi em vão. Vou deixar alguma semente, permitindo uma reflexão, a partir desta audição da Palavra de Deus. Estou feliz, sim", comenta Cid Moreira. O locutor ressalta também que o lançamento vai ampliar ainda mais o alcance da Palavra de Deus. "Acredito que esta obra vá chegar devagar e para sempre junto aos brasileiros cristãos. Mais pessoas, sem distinção terão acesso à Bíblia de forma completa e isso é maravilhoso", comemora. Concebida como uma coleção de CDs, a Bíblia em Áudio ganhou o formato MP3 para acompanhar a evolução da tecnologia. Além de conter o texto integral do Livro Sagrado e oferecer a alta qualidade de som da gravação digital, a nova mídia tem o mérito de tornar a obra mais acessível, reduzindo custos. "Desde 2004, estamos empenhados na realização desse projeto, que reafirma a missão da SBB, de levar as Sagradas Escrituras a todas as pessoas. A Bíblia em Áudio vem atender tanto a população jovem, que assimila novas tecnologias, como aquelas pessoas que não sabem ler ou têm alguma deficiência visual. É um novo paradigma na divulgação da Palavra de Deus", afirma o secretário de Comunicação e Ação Social da SBB, Erní Seibert.

Além de Cid Moreira, que concebeu as gravações de forma a criar as situações narradas na imaginação dos ouvintes, a concretização do projeto contou também com a dedicação de muitos profissionais e pessoas que amam a Bíblia. O início dessa produção só foi possível graças ao empresário Milton Afonso, que doou recursos que viabilizaram o lançamento da obra. Ao longo desses cinco anos, muitos foram os desafios. "Não foi fácil! Preparar todo o material, depois gravar uma voz guia para que o desenvolvimento das trilhas, enquanto dirigia as pessoas que interpretaram os personagens das histórias bíblicas. Muitos eram voluntários, sem experiência de interpretação. Foi uma vitória chegar aqui", conta Cid Moreira, lembrando também a mudança de tecnologia, do CD ao MP3. Para ele, a conclusão da Bíblia em Áudio reafirma o juramento feito no início dos anos noventa, quando gravou o Sermão da Montanha e completou 25 anos de Jornal Nacional. "Nem sempre era porta-voz de boas notícias. A partir de então, decidi levar o Evangelho a todas as pessoas até o último dia de minha vida", revela.

A obra tem trilha sonora especialmente criada por Eugênio Dale e Suzanne Hirle. Além de fazer a narração, Cid Moreira assina a direção do projeto, que tem ainda diálogos gravados por Célio Moreira, Cévio Barros Cordeiro, Fermino Neto, Fátima Sampaio Moreira, Michelle Malinoski, Roger Moreira e Sérgio Azevedo, entre outros. Alexandre Franca, Coral Jovem do IACS, Coral Jovem do IPAE, Coral Jovem do Rio de Janeiro, Eugênio Dale, Rafaela Pinho e Suzanne Hirle fazem participação musical. Erní Seibert dividiu a supervisão geral com Sérgio Azevedo, Casarin Júnior e Rudi Zimmer.
Descrição do produto:Título: Bíblia em Áudio NTLH em MP3
Narração: Cid Moreira
Tradução: Nova Tradução na Linguagem de Hoje - Sociedade Bíblica do Brasil
Categoria: Multimídia
Mídia/ISBN: 1- 9 CDs-ROM - 978-85-311-1218-8
2- 1 DVD - 978-85-311-1219-5
Código/Preço: 1- NTLH70BAMP3CD - R$ 59,90
2- NTLH70BAMP3DVD - R$ 59,90
Fonte: Sentidos

13 de nov de 2009

RECIFE debate turismo para pessoas com deficiencia

Com iniciativa do Instituto Muito Especial em parceria com o Ministério do Turismo, a cidade de Recife será palco do 2º Congresso de Turismo Muito Especial de Pernambuco, que ocorre, entre 30 de novembro e 3 de dezembro, no Recife Palace Hotel. O evento discutirá os desafios e as oportunidades do turismo acessíveis

Com inscrições gratuitas, através do site
www.congressoturismope2009.org.br, o evento esperar reunir cerca de mil pessoas entre profissionais de toda a cadeia produtiva do turismo local, autoridades, empresários, gestores públicos, organizações não governamentais. De acordo com o presidente do Instituto Muito Especial, Marcus Scarpa, o congresso visa estimular o desenvolvimento do turismo para as pessoas com deficiência no Brasil, difundindo o conceito de turismo especial. "Queremos acima de tudo contribuir para um melhor atendimento às pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida no turismo brasileiro. Atingiremos tal meta a partir da quebra de barreiras arquitetônicas e atitudinais", reflete. Para Scarpa, o Congresso também irá contribuir para atualizar o conhecimento técnico dos profissionais da área. Entre os assuntos discutidos, pode-se destacar: Destinos Acessíveis; Acessibilidade Urbana - Transporte; Turismo Cultural Acessível; Vantagens Econômicas do Turismo Acessível; O Ambiente Profissional Inclusivo do Turismo; Transporte Aéreo e o Turismo Acessível; Ecoturismo e Turismo de Aventura para pessoas com deficiência.

Durante a programação do evento, haverá a apresentação de painéis. Assim, a comunidade científica terá a oportunidade de informar à população as pesquisas desenvolvidas atualmente na academia.

Programação
Dia 30 de Novembro
15h30- Credenciamento
19h30 - Cerimônia de Abertura
20h30 - Coquetel de Boas Vindas

Dia 1 de Dezembro
8h30 - Welcome Coffee
9 horas - Mesa: Destinos Acessíveis
Palestrante - Carlos Alberto Tavares de Toledo (Secretaria de Turismo daPrefeitura de Socorro-SP); Silvio Costa (Secretaria de Turismo de Pernambuco); Giovana Guedes (EcoAção); e Patricia Pacheco Benedites (EcoAção)

12 horas - Almoço Livre
14 horas - Mesa: Acessibilidade Urbana - Transporte
Palestrante - José Antonio Lanchoti

15h30 - Coffee-Break
15h50 - Mesa: Turismo Cultural Acessível
Palestrantes - Antonio Carlos de Morais Sartini (Museu da Língua Portuguesa -São Paulo-SP) e Daina Leiton (Museu de Arte Moderna - MAM- São Paulo SP)

18h30 - Encerramento

Dia 2 de Dezembro
8h30 - Mesa: Vantagens Econômicas do Turismo Acessível
Palestrante - Eduardo Abreu (Neoturis)

10h30 - Coffee-Break
10h50 - Mesa: O Ambiente Profissional Inclusivo do Turismo
Palestrante - Andrea Chaves

12h30 - Almoço Livre
14 horas - Mesa: Como divulgar o Turismo Acessível?
Palestrante - Luiz Felipe Moura (Abrajet - PE); Priscila Sampaio (Revista Sentidos); e Cristina Lira

16h40 - Coffee-Break
17 horas - Apresentação de painéis: Turismo Acessível18h30 - Encerramento


Dia 3 de Dezembro
8h30 - Mesa: O Trade e o Turismo Acessível
Palestrantes - José Otávio Meira Lins (Recife Convention & Visitors Bureau) e Jorge Sales (Abav-PE )

10h50 - Coffee-Break
11h10 - Mesa: Transporte Aéreo e o Turismo Acessível
Palestrante - Rosângela Cavalcante Lopes (Infraero)
12h40 - Almoço Livre

14 horas - Mesa: Ecoturismo e Turismo de Aventura para pessoas com deficiência
Palestrantes - Sávio Vieira Ramos e Dadá Moreira

16 horas - Coffee-Break
16h20 - Apresentação de Painéis: O poder Público e o Turismo Acessível
Fonte: Brasilturis Jornal

11 de nov de 2009

Intel lança e-reader para pessoas com deficiência visual

A Intel começou a vender nesta terça-feira (10/11) um leitor de e-books que tira fotos de páginas de livros e jornais e converte o texto em fala. Batizado de Intel Reader, o dispositivo pretende ajudar pessoas com deficiência visual ou dislexia, de acordo com Bem Foss, diretor de tecnologia da Intel e idealizador do aparelho. “É feito para dar independência e acesso à leitura.”

Do tamanho de uma folha de papel, o dispositivo tem uma câmera de 5 megapixels com um sistema de conversão de texto em fala. O aparelho conta com 2 Gigabytes para armazenamento, o equivalente a cerca de 600 páginas escaneadas.

O funcionamento do dispositivo é simples. Basta que os usuários coloquem o aparelho um pouco acima da página que desejam ler. Assim, o dispositivo tira a foto e, em segundos, converte automaticamente o conteúdo em texto, que pode ser demonstrado em uma fonte grande ou lido em voz alta. O aparelho suporta arquivos MP3, WAV, além de formatos de texto, e pode tocar arquivos de áudio. A bateria tem duração de até quatro horas. Por enquanto, o dispositivo estará disponível nos Estados Unidos e no Reino Unido. A companhia pretende distribui-lo em outros países no futuro, de acordo com Foss. O reader custa em torno de US$ 1.500 (o equivalente a R$ 2.550). A Intel também deve fabricar um suporte para o leitor que poderá segurar e carregar o aparelho enquanto ele estiver sendo usado para leitura de um grande número de páginas.
Fonte: globo.com

6 de nov de 2009

Teatro de Mobilização pela Diversidade realiza espetáculos em Minas Gerais e São Paulo

Com patrocínio da Oi e da MRS Logística, e apoio da Lei Rouanet, a Escola de Gente - Comunicação em Inclusão convida para a apresentação da comédia "Ninguém mais vai ser bonzinho" e do "Espetáculo de Esquetes" do grupo Os Inclusos e os Sisos - Teatro de Mobilização pela Diversidade. As peças circulam pelos estados de Minas Gerais e São Paulo. O grupo de Arte e Transformação da Escola de Gente se apresentará nas cidades de Itu, Salto, São Paulo, Belo Horizonte, Juiz de Fora e Conselheiro Lafaiete.

Os dois espetáculos contam com a acessibilidade na comunicação, pois associam difusão da arte e da cultura à inclusão por meio da oferta simultânea de distintas medidas de acessibilidade, como tradução para Língua brasileira de sinais (Libras); legenda eletrônica e audiodescrição.

Todas as apresentações terão Entrada Franca. Veja a agenda abaixo e chegue cedo para pegar o seu lugar!

Em São Paulo/Capital:

"Espetáculo de Esquetes"
Data: 06 de novembro de 2009
Horário: 16h
Local: Estação Ciência - USP - Rua Guaicurus, 1394 - Lapa - São Paulo - SP
Acessibilidade: Audiodescrição, intérprete de Libras e legenda eletrônica

Minas Gerais/cidade de Juiz de Fora:

"Ninguém mais vai ser bonzinho"
Data: 10 de novembro de 2009
Horário: 20h
Local: Centro Cultural Bernardo Mascarenhas - Av. Getúlio Vargas, 200 - Centro
Acessibilidade: Audiodescrição, intérprete de Libras e legenda eletrônica

Minas Gerais/cidade de Belo Horizonte:

"Espetáculo de Esquetes"
Data: 28 de novembro de 2009
Horário: 17h
Local: Teatro da PUC Minas - Av. Dom José Gaspar, 500 - prédio 30 - Coração Eucarístico
Acessibilidade: Audiodescrição, intérprete de Libras e legenda eletrônica

Minas Gerais/cidade de Conselheiro Lafaiete:

"Espetáculo de Esquetes"
Data: 01 de dezembro de 2009
Horário: 20h
Local: Teatro Municipal de Conselheiro Lafaiete- Rua Assis Andrade, 540 - Centro - Conselheiro Lafaiete - MG
Acessibilidade: Intérprete de Libras e legenda eletrônica

Realização: Escola de Gente - Comunicação em Inclusão
Patrocínio: Oi e MRS Logística S.A.
Apoio: Oi Futuro, Lei de Incentivo a Cultura - Ministério da Cultura, Brasil - Um País de Todos

Sinopse da peça "Ninguém mais vai ser bonzinho"
A peça, livremente inspirada em livro de Claudia Werneck, é escrita por Diego Molina com supervisão de Bosco Brasil e foi produzida em 2007, tornando-se a primeira peça de teatro brasileira a garantir a pessoas com deficiência e ou mobilidade reduzida o direito de participar em igualdade de condições da vida cultural de suas comunidades. Desde então tem percorrido diferentes estados do país. Comédia ágil e de suspense policial, "Ninguém mais vai ser bonzinho" mostra formas sutis de discriminação evidenciadas por uma situação limite na qual quatro pessoas, entre elas uma com Síndrome de Down, presas em um ônibus seqüestrado e sem perspectiva de ajuda, lutam para não morrer.

Sinopse do "Espetáculo de Esquetes"
Quatro atores, através de dezenas de personagens, contam a história de gente comum, como a gente, que vez ou outra (pra não dizer quase sempre) se encontra em situação de vulnerabilidade, ora discriminando, ora sendo discriminada pelos mais diversos motivos: desde de uma deficiência até, por exemplo, por causa de um corte de cabelo. Um espetáculo cômico e provocativo, que retrata formas sutis de discriminação que muitas vezes são difíceis de serem percebidas.
Fonte: Sentidos

Imagem: Cena da peça "Ninguém vai ser bonzinho"

5 de nov de 2009

Porto Alegre firma acordo de acessibilidade para a Copa

Porto Alegre assinou compromisso com a Campanha da Acessibilidade na Copa de 2014. Promovida pelo Conselho Nacional de Pessoas com Deficiência (Conade), a campanha tem o objetivo de adaptar as cidades-sede com o conceito de acessibilidade universal. A informação é do jornal “Clic”, do Rio Grande do Sul.

O Conade quer que Porto Alegre seja um modelo para as demais cidades da Copa, já que o município foi o primeiro a assinar o compromisso. “A escolha da cidade deve-se à dedicação que tem demonstrado com o tema”, disse Denise Granja, presidente do conselho.

O secretário da Copa, José Fortunati, afirmou que a acessibilidade não pode ficar de fora de todos os projetos de infraestrutura. Para ele, o conceito terá a oportunidade de se fortalecer e ser plenamente respeitado.

Até o final de 2009, um evento para a assinatura do termo de adesão da capital gaúcha será realizado em Porto Alegre, reunindo prefeitura, Conade, clubes de futebol e demais entidades envolvidas com a Copa do Mundo de 2014.

Fonte: Portal Copa 20014

4 de nov de 2009

Começam os Jogos Especiais de Curitiba, com 1300 atletas

O prefeito de Curitiba, Beto Richa, e a presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Fernanda Richa, abriram na manhã desta quarta-feira (4) a 5ª edição dos Jogos Especiais de Curitiba, no ginásio da Universidade Positivo, no Campo Comprido. A competição envolve mais de 1.500 pessoas, entre elas 1.300 atletas inscritos por 32 instituições que atendem pessoas com deficiência, por meio de convênios com a FAS.

"Esta é mais uma oportunidade em que a Prefeitura demonstra o respeito e o carinho com que são atendidas em nossa cidade as pessoas que mais necessitam do apoio do poder público. E a alegria desses jovens atletas neste momento é contagiante", disse o prefeito.
Os jogos fazem parte das atividades do programa Amigo Curitibano, desenvolvido pela FAS, em parceria com a Secretaria Municipal do Esporte e Lazer. "O objetivo dos jogos é valorizar e divulgar o potencial das pessoas com deficiências e promover a integração e a inclusão social por meio do esporte", afirmou Fernanda Richa. "O incentivo à prática esportiva pelas pessoas com deficiências, em espaços diferentes do seu dia-a-dia, permite que a comunidade acompanhe as atividades e possa conhecer e divulgar o potencial dos atletas", acrescentou.

As provas serão disputadas de 4 a 17 de novembro, a partir das 8h30, nos ginásios de esportes da Universidade Positivo, do Sesc Água Verde e da praça Plínio Tourinho. Os atletas vão disputar 12 modalidades: atletismo, futsal, goalball, natação, vôlei, xadrez, boccia, golfe, bocha de areia, beisebol e tênis de mesa.
Fonte: Bem Paraná
Imagem: Ivan Bueno

1 de nov de 2009

Fundação oferece 20 mil obras gravadas para cegos

O acesso de pessoas com deficiência visual a livros e revistas ainda é escasso no País e é promovido por algumas entidades que procuram estimular a leitura por meio do método braille. No braile, a leitura é feita pelo tato e há também livros falados ou digitais, que a pessoa pode ouvir por meio discos gravados colocados num computador. A Fundação Dorina Nowill para Cegos, com sede em São Paulo, comemorou o Dia Nacional do Livro (29 de outubro) com o oferecimento anual de 20 mil exemplares de títulos universitários para cegos.

Segundo o responsável pelo desenvolvimento de produtos de informática da Nowil, Ricardo Soares, a fundação, que funciona há 63 anos, começou a apoiar esse público oferecendo primeiro obras em braile, que continua disponibilizando. Posteriormente, partiu para os livros falados, gravados em fita cassete e depois em CD.

Agora, boa parte desse trabalho é feita em formato MP 3, de acordo com a demanda dos usuários, que ouvem a obra por meio de computadores por eles mesmos manipulados. A fundação trabalha constantemente no desenvolvimento de novos métodos, com produção própria para a versão de livros digitais, que são emprestados para deficientes visuais em todo o país e também no exterior.

A biblioteca da Dorina Nowill tem mais de 1.270 títulos disponíveis e, a cada mês, são acrescentados ao acervo de 10 a 15 títulos novos gravados. A orientação para a oferta são os best sellers (livros populares entre os leitores, que figuram nas listas dos mais vendidos) que ficam no mercado de três a quatro semanas e são então gravados de acordo com a demanda declarada pelos deficientes visuais.

Soares disse que os recursos oriundos da Lei Rouanet, que estimula programas educacionais, podem ser ajuda valiosa para quem trabalha no apoio aos deficientes. A participação oficial, segundo ele, ajuda a disseminar as versões necessárias para os cegos, que não são baratas.
Muitas instituições, como por exemplo universidades, demandam o trabalho da Dorina. "Dificilmente alguém manifesta interesse de comprar. Todos querem mesmo é receber gratuitamente, por isso, o apoio do governo é importante para que se possa aumentar a oferta", afirmou Soares.

A biblioteca da Dorina Nowill tem um público de 2.500 clientes ativos cadastrados e empresta por mês 2 mil exemplares do acervo falado, que são em geral mandados pelos Correios, que também fazem a devolução. Os usuários se comunicam por telefone, e-mail ou vão pessoalmente à entidade, quando moram em São Paulo.

De acordo com Soares, há necessidade de capacitação de pessoas para a produção de material para os deficientes visuais, o que é um processo caro e demorado, que requer incentivo governamental. Quanto mais o deficiente visual puder ter acesso às obras, melhor será sua qualidade de vida. Por isso, todos têm que se envolver nisso para ajudá-los, afirmou o representante da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

A região Nordeste concentra cerca de 57 mil pessoas cegas, contra 54 mil no Sudeste. São Paulo é o Estado com maior número, 24 mil, seguido pela Bahia, com 15,4 mil. Em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, que também são estados populosos, o número de cegos oscila em torno de 14 mil, cada. A maioria tem pouca instrução, o que dificulta o acesso aos meios alternativos capazes de melhorar sua qualidade de vida.

29 de out de 2009

São Paulo vai realizar seu 2º Seminário de Calçadas

São 30 mil quilômetros de calçadas na cidade de São Paulo, dos quais menos de 20% em boas condições de uso. Para discutir como modificar esse insólito panorama, que tanto prejudica os pedestres e mais ainda as pessoas com deficiências, será realizado em 6/11, na Câmara Municipal, o 2º Seminário Paulistano de Calçadas. Participam cidadãos, arquitetos, engenheiros, representantes do poder público e iniciativa privada.

Desde o 1º Seminário, em 2004, a cidade luta para promover a recuperação e padronização das vias de pedestres. O Programa Passeio Livre lançado em 2005, é uma dessas ações. Ele introduziu uma atualização na legislação e implementou algumas mudanças significativas.

“Retomar a discussão sobre as calçadas é estimular o diálogo para debater as perspectivas do Programa Passeio Livre com a expansão para outras cidades. Exemplos a serem seguidos em prol da mobilidade urbana, segurança e acessibilidade”, comenta Gilberto Natalini, proponente do Seminário.

O 2º Seminário Paulistano de Calçadas, patrocinado pela Associação Brasileira de Cimento Portland-ABCP, tem como objetivos promover a retrospectiva do Programa Passeio Livre e mostrar a importância de promover a acessibilidade e os benefícios que ela trás à vida dos pedestres e das pessoas com necessidades especiais.

Programação completa

Serviço
2º Seminário Paulistano de Calçadas
Data – 6 de novembro de 2009
Local – Câmara Municipal de São Paulo
Horário - 13h30 às 19h00

Inscrições gratuitas –
www.natalini.com.br
Fone – 11 3396 4405
Fonte: Viva o Centro
Imagem: Rafael Martinss

24 de out de 2009

Caraguá ganha condomínio para 3ª idade

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) iniciou o processo para a contratação de empresa para construir o primeiro condomínio em Caraguatatuba do Programa Vila Dignidade, desenvolvido pelo Governo do Estado para promover moradia digna e apoio social a idosos de baixa renda. O condomínio terá 20 casas e será erguido na avenida Jorge Burihan, Jardim Jaqueira.

Projetados a partir de conceitos do Desenho Universal, os imóveis terão sala conjugada à cozinha, um dormitório, banheiro, área de serviço e uma pequena área externa nos fundos que pode ser utilizada como jardim ou horta. Vários itens de segurança e acessibilidade foram incorporados ao projeto, entre eles barras de apoio, pias e louças sanitárias em altura adequada, portas e corredores mais largos para permitir trânsito de cadeiras de rodas, interruptores em quantidade e altura ideais, campainha luminosas, rampas e pisos antiderrapantes, entre outros.

Os recursos de acessibilidade também serão instalados nas áreas comuns para facilitar a locomoção e dar segurança e conforto ao idoso. O conjunto contará com projeto paisagístico diferenciado para proporcionar um ambiente agradável e, ainda, com salão para atividades diversas, como festas, reuniões e cursos.

Vila Dignidade
O Programa Vila Dignidade foi lançado em abril deste ano. São pequenas vilas, projetadas com casas e infraestrutura urbana adaptadas às necessidades deste segmento da população. Além disso, os moradores são envolvidos em atividades socioculturais e de lazer. Trata-se de uma ação conjunta das secretarias da Habitação, de Assistência e Desenvolvimento Social (Seads), de Economia e Planejamento, da Cultura, da CDHU, do Fundo de Solidariedade e Desenvolvimento Social e Cultural do Estado de São Paulo (FUSSESP), em parceria com as prefeituras paulistas.
Fonte: Vale Notícia

22 de out de 2009

Senado comemora Semana da Visão

O Senado comemora, entre os dias 20 e 23 de outubro, a Semana da Visão. A abertura oficial do evento ocorreu na última terça-feira (20), e contou com a apresentação do judoca paraolímpico Antônio Tenório. Foi montada uma exposição com artefatos produzidos por integrantes do Grupo Artes Táteis, que promove a cidadania das pessoas com deficiência visual por meio da qualificação de ceramistas, artesãos e artistas. Também houve o lançamento do livro Diário de um Transplante Ósseo - Na real, dois, da servidora pública e jornalista Larissa Jansen.

No Salão Branco, conhecido como Chapelaria, está exposta uma retrospectiva dos trabalhos das Semanas de Valorização da Pessoa com Deficiência, de 2005 a 2008. O local durante a semana abrigará um consultório para atendimento oftalmológico para o público, como parte da Campanha de Prevenção do Glaucoma. Médicos estão a postos na terça, das 14h30 às 17h30; na quarta, das 9h30 às 11h20 e das 14h30 às 17h30; e na quinta, das 9h30 às 11h20.

O evento foi promovido pelo Senado Inclusivo, o Programa do Senado Federal de Acessibilidade e Valorização da Pessoa com Deficiência.
Fonte: Agência Senado
Foto: Jonas Pereira

19 de out de 2009

Programa pioneiro capacita 350 pessoas com deficiência para o setor bancário

Na última sexta-feira, dia 16, o prefeito de São Paulo entregou os diplomas na formatura da 1ª turma do Programa de Capacitação Profissional e Inclusão de Pessoas com Deficiência no Setor Bancário. Resultado de uma parceria firmada entre a Prefeitura, por intermédio das secretarias municipais do Trabalho e da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, e a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), o projeto capacitou 350 alunos com deficiência que já estão trabalhando na área. A cerimônia foi realizada no Hotel Maksoud Plaza, região da avenida Paulista.

O programa piloto é pioneiro no Brasil. Os participantes começaram a trabalhar no sistema bancário paulistano em setembro deste ano, nas funções de operador de call center, iniciante
de agência, iniciante administrativo e caixa. Os candidatos foram pré-selecionados em novembro
o ano passado, por meio do Programa Inclusão Eficiente do Centro de Apoio ao Trabalho (CAT), da Prefeitura de São Paulo. Além de auxiliar a Febraban na orientação dos primeiros passos do projeto, a Secretaria da Pessoa com Deficiência ministrou palestras aos alunos nos cursos de capacitação.


O programa foi criado com base na necessidade de os bancos se adequarem ao Decreto nº 5.296/2004, a chamada Lei de Cotas. Pesquisa realizada pela Febraban em 2006 identificou que 78,7% das pessoas com deficiência no País têm menos de oito anos de estudo, fator limitante para o desenvolvimento pessoal e profissional. Tanto é que para muitos dos alunos bancários com idade entre 18 e 65 anos esse é o primeiro emprego. Uma das diplomadas, Giovana Boni de Aguiar, 28 anos, perdeu a visão quando tinha um ano de vida. Casada, ela já trabalhou
dando aulas de música e na área de telefonia. Moradora no Parque São Rafael, Zona Leste, ela trabalha em um banco na região da Paulista. Ela discursou em nome dos 350 formandos: "Esta é uma janela que se abre e mostra que existe a oportunidade de valorizar os deficientes para que não fiquemos escondidos, vivendo à margem da sociedade. Antes da realização deste curso,
enfrentávamos uma luta muito grande. Nós, deficientes, temos nosso potencial e precisamos de uma chance".


Curso
A capacitação foi realizada em duas etapas. A primeira, denominada Aprimoramento Educacional, é destinada aos contratados que tenham ensino médio completo. Com duração
de três meses, o curso é ministrado pela equipe da Universidade UniSant'Anna. Depois desse período, os alunos receberam mais três meses de qualificação técnica, específica para o setor bancário. A outra etapa, intitulada Supletivo Ensino Médio, é voltada aos 147 participantes que não concluíram o ensino médio. A duração do curso é de 12 meses e está sendo ministrado pela equipe do cursinho da Poli. A conclusão desta turma está prevista para meados de 2010.

Fonte: SMPED

17 de out de 2009

GP de F1 terá transporte gratuito para pessoas com deficiência

A Prefeitura de São Paulo disponibilizará 20 veículos do serviço Atende para o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1. O serviço é destinado a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida que estiverem acompanhando os treinos e a corrida deste fim de semana.

O serviço estará disponível nos dias 17 e 18 de outubro, das 6h às 18h, a partir dos seguintes pontos: Shopping SP Market, Shopping Interlagos, Metrô Jabaquara, praça da República, Aeroporto de Congonhas, praça Enzo Ferrari e estacionamento de ônibus fretados da avenida José Carlos Pacce.

O acesso desses veículos ao autódromo será pelo Portão 7 (Portão de Serviços, próximo do Lago) e o usuário será encaminhado até a respectiva arquibancada, retornando ao bolsão de origem. No caso dos usuários que adquiriram ingressos para o Setor A, o desembarque será feito na praça Enzo Ferrari, em frente do portão principal.

As arquibancadas com estruturas permanentes, localizadas no Setor M, em frente do pit stop, contam com elevadores para acesso de pessoas com deficiência, banheiros adaptados, lugares para pessoas obesas e com mobilidade reduzida, além de área reservada para cadeirantes e seus acompanhantes, com 36 lugares.

Serviço:
Pontos de atendimento do serviço Atende, para pessoas com deficiência.
Data: 17 e 18 de outubro (sábado e domingo)
Horário: 6h às 18h
Locais: Shopping SP Market, Shopping Interlagos, Metrô Jabaquara, Aeroporto de Congonhas, praça da República, praça Enzo Ferrari, avenida José Carlos Pacce.
Telefone: 2693-2572/2692-1318
e-mail: atende.eventos@sptrans.com.br

16 de out de 2009

Impostos e publicidade podem financiar acessibilidade de calçadas

Utilizar receitas da contribuição sobre combustíveis, do aluguel de espaços publicitários em mobiliários urbanos e do IPTU para tornar as calçadas de São Paulo mais acessíveis. Estas foram propostas apresentadas no seminário ‘Passeios Públicos e Mobiliário Urbano na Cidade de São Paulo’, promovido dia 22 de setembro pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida ( SMPED ).

Destinar 1% da receita da CIDE, durante três anos, para financiar ações de acessibilidade nos municípios foi a proposta apresentada por Manuel Rossitto, coordenador do Grupo de Vias da FIESP. Outra sugestão nasceu do programa Cidade Limpa. A lei, que praticamente baniu a publicidade das fachadas comerciais da cidade, abriu exceção para a exploração de espaços no mobiliário urbano. A receita obtida com esse uso poderia ser utilizada em projetos de readequação do próprio mobiliário.

O secretário da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida defendeu o modelo de contribuição de melhorias para ampliar e financiar as ações de adequação e padronização das calçadas. Por este mecanismo, a Prefeitura poderia construir ou reformar as calçadas mais problemáticas e o custo seria incorporado ao IPTU dos moradores beneficiados.
‘Com base nas conclusões deste encontro, vamos formular uma proposta que será levada ao prefeito e debatida com a sociedade. Este é um tema que interessa a todos e não só às pessoas com deficiência. A calçada deve ser vista como um espaço privilegiado do pedestre’, conclui a arquiteta Silvana Cambiaghi, organizadora do seminário.

Fonte: SMPED

14 de out de 2009

Atividades de inclusão na Virada Esportiva crescem 41%

Cerca de 40 atividades, reunindo 11.766 participantes com mobilidade reduzida. Este foi o balanço da edição 2009 da Virada Esportiva. Um crescimento exponencial em relação ao primeiro evento, de 2006, quando apenas 300 paulistanos participaram das atividades voltadas à inclusão.

O amplo leque de opções oferecido este ano, nos dias 19 e 20 de setembro, variou de tradicionais esportes adaptados, como vôlei sentado, natação, goalball e basquete para cadeirantes, até parakart, caminhadas e dança para a terceira idade e pessoas com deficiência.
O objetivo, plenamente alcançado, foi mostrar que pessoas com e sem deficiência podem desfrutar lado a lado da emoção, do bem-estar e da alegria proporcionados pelo esporte e pelas atividades físicas e recreacionais.
Imagem: Detalhe nos pés de dois capoeiristas, um deles cadeirante.
Fonte: SMPED

13 de out de 2009

Trilha acessível é inaugurada no Parque Villa-Lobos, em São Paulo

O governo do Estado de São Paulo lançou no dia 21 de setembro - Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência - o Circuito das Árvores, uma espécie de trilha acessível às pessoas com deficiência. O evento, organizado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, também foi marcado pelo início do processo de plantio de mais 8.400 mudas de espécies nativas brasileiras.

O Parque Villa-Lobos, que recebe a visita de cerca de 500 mil pessoas por mês, é considerado o primeiro parque de São Paulo completamente acessível para pessoas com deficiências e está dotado de banheiros acessíveis, rampas, telefones para surdos, mapas táteis e marcações padronizadas no solo, para os cegos.

O Circuito das Árvores é uma passarela elevada que chega até 3,5 metros de altura e tem uma extensão de 120m, possibilitando a observação da fauna e flora de bosques do Parque. A estrutura é feita de madeira de reflorestamento cedida pela Estação Experimental de Itapetininga, ligada ao Instituto Florestal - IF e projetada para não impactar a vegetação do local. As espécies de árvores e aves serão identificadas ao longo do caminho.

Além do Dia da Árvore, a inauguração do Circuito das Árvores aconteceu em meio à comemoração de mais um aniversário do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Instituída em 1982, em meio a um clamor nacional pela transição do período reacionário da ditadura militar para um período de construção de uma sociedade democrática, a data é um pleito pela conscientização da sociedade sobre as necessidades, principalmente de inclusão, do segmento.Uma das reivindicações mais antigas dos movimentos e das lideranças do segmento é pela acessibilidade da pessoa com deficiência aos bens e serviços públicos disponíveis nos municípios. "Prestigiamos o lançamento do Circuito das Árvores para demonstrar o aplauso do público com deficiência à preocupação constante e crescente do Governo de São Paulo com a efetiva inclusão dessas pessoas, que também têm direito ao esporte e ao lazer, como todo cidadão do Estado", disse a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, presente no evento.

O Parque Villa-Lobos fica na Av. Professor Fonseca Rodrigues, 1.655, Alto de Pinheiros, São Paulo.
Fonte: Sentidos

11 de out de 2009

Dica de livro: A Pessoa com Deficiência e o Trabalho

Dos 65,6 milhões de habitantes brasileiros, nove milhões possuem alguma deficiência. Desse montante, 48,39% está no mercado de trabalho e ocupa funções no setor de serviços, principalmente em corporações e órgãos governamentais. Esse dado demonstra uma preocupação cada vez maior do Governo com esses cidadãos, que graças a leis e diretrizes que defendem os seus direitos, inserem-se no mercado de forma jamais vista. Projeções otimistas apontam para uma participação cada vez maior nesse cenário.

Mas, para que esse belo painel seja pintado, é necessário que o mercado e os profissionais que trabalham diretamente com deficientes físicos estejam sempre se renovando. A idéia é proporcionar as melhores estruturas e condições de trabalho para esses cidadãos.

Foi com esse pensamento que o médico Paulo Rebelo, resolveu escrever A Pessoa com Deficiência e o Trabalho. Com uma linguagem clara e a tranqüilidade e a experiência inerente àqueles que lidam há anos com esse desafio, o Dr. Paulo nos entrega uma obra rica sobre o tema.Ao longo das 136 páginas, o médico mostra como os profissionais de diversos ramos (Administração, Sociologia, Psicologia, Fisioterapia, Educação Física, etc) podem contribuir para a reintegração e reabilitação social dos cidadãos com deficiência. Para isso, o autor destaca algumas medidas como a importância da preparação do local de trabalho para receber os trabalhadores deficientes e as diretrizes para que exista um acompanhamento especial desses cidadãos em suas funções.

Conteúdo:

No Mundo do Trabalho


Com Responsabilidade Social


Doença e Trabalho


Criando Oportunidades e Derrubando Barreiras


A Pessoa com Deficiência e o Mercado de Trabalho


A Legislação e o Deficiente


Como Gerir no Trabalho Pessoas com Deficiência


A Avaliação da Saúde do Trabalhador com Deficiência


Envelhecimento e Capacidade Funcional


A Reabilitação e a Readaptação do Profissional


A Interação com o Deficiente


Para Não Esquecer





Só um comentário: Eu tive aoportunidade de ler este livro e o considero fundamental para quem tem interesse em assuntos relacionados à acessibilidade. Foi imprescindível na conclusão de meu trabalho final de pós-graduação em acessibilidade (Renata Caletti).

9 de out de 2009

Campina Grande sediará jogos para deficientes

Através do empenho da secretária de Interiorização e Ação Governamental Ana Cláudia Nóbrega Vital do Rêgo, a cidade de Campina Grande vai sediar, pela primeira vez, os Jogos Paraibanos para Pessoas com Deficiência, em sua 20ª edição. Durante vinte anos os jogos sempre foram realizados em João Pessoa, embora houvesse a vontade dos participantes em descentralizar o evento, que reúne cerca de 700 atletas de todo o Estado.

O primeiro passo para que Campina possa sediar os Jogos Paraibanos para Pessoas com Deficiência foi dado na manhã desta quinta-feira (8) quando a secretária Ana Cláudia esteve reunida com a presidente da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência – Funad, Rosália Maria Lins Araújo, e também com o secretário estadual da Juventude, Esporte e e Lazer, coronel Francisco, além do gerente operacional do Amigão, Custódio Miranda (Totó), o diretor executivo da Funad, Ronaldo Filho, o coordenador de esporte e lazer da entidade, Jailton Lucas e Marleide Leite de Farias, da Funad local. A reunião aconteceu na sede do escritório de Interiorização e Ação Governamental e ficou acertado que os jogos devem acontecer provavelmente no início do mês de dezembro e que serão utilizados espaços como a Vila Olímpica do Complexo Plínio Lemos, a sede da APAE e o prédio do Instituto dos Cegos.

A secretária Ana Claúdia garantiu que todo o esforço será feito por parte do governo do estado para que o evento obtenha todo o sucesso desejado e que Campina Grande, sendo a primeira cidade do interior a sediar os jogos, abra o caminho para sua descentralização a partir dos próximos anos.

Os Jogos Paraibanos para Pessoas com Deficiência reúne atletas das seguintes modalidades esportivas: atletismo, futsal, natação, vôlei de areia, capoeira, judô, goalbal e basquete em cadeira de rodas. O evento acontece de acordo com a Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, que assegura os direitos civis e humanos da pessoa com deficiência. Neste sentido a Funad, juntamente com a Secretaria de Interiorização e da Ação Governamental, tem como atribuição o gerenciamento das políticas que possibilitem a melhoria da qualidade de vida, o favorecimento do exercício da cidadania e a inclusão social deste segmento social, consolidando com as ações emanadas da Constituição Federal.

Ao final da reunião a secretária Ana Cláudia Nóbrega afirmou que o objetivo geral da realização dos jogos pela primeira vez em Campina Grande é “promover atividades desportivas coletivas e individuais, junto às pessoas com deficiência, visando a melhoria de vida e inclusão social, além de conscientizar os atletas sobre as suas potencialidades e capacidades de participarem em atividades competitivas, recreativas e de lazer, superando limites e vencendo obstáculos”. Uma nova reunião para concretizar de vez o evento em Campina Grande vai acontecer no próximo dia 15, à tarde, na sede da Funad em João Pessoa.
Fonte: PB Agora

8 de out de 2009

Com paralisia cerebral grave e movimentos apenas do pescoço para cima, Antônio Leme dedica-se há três anos ao esporte

A cidade de Jacareí, no Vale do Paraíba, terá um representante na seleção brasileira que competirá na Copa América de Bocha Adaptada. O atleta Antônio Leme, conhecido como Tó, é integrante da equipe de bocha adaptada para pessoa com deficiência de Jacareí e foi convidado pela Associação Nacional de Desporto para Deficientes (Ande) para integrar a delegação do Brasil. A disputa ocorre em Montreal, no Canadá, entre os dias 24 e 29 de outubro.

Aos 44 anos, Tó joga há três anos pela modalidade BC3, categoria destinada a pessoas com paralisia cerebral severa. Ele se movimenta apenas do pescoço para cima e não fala, mas, mesmo assim, dedica-se aos estudos do esporte e trabalha como vendedor de doces nas ruas do centro da cidade, com ajuda de sua cadeira de rodas elétrica. O convite para fazer parte da seleção brasileira de bocha adaptada, que contará com 11 esportistas, surgiu após o atleta conquistar a medalha de prata no Campeonato Regional de Bocha Adaptada, disputado em agosto na cidade de Taboão da Serra, na Grande São Paulo.

O atleta é um dos jogadores mais antigos da equipe de bocha adaptada de Jacareí, formada por mais seis pessoas, com idades entre 35 e 45 anos. Desde que foi criado, há três anos, o grupo treina no espaço cedido pela prefeitura da cidade, que mantém convênio com Associação Criança Especial de Pais Companheiros (Cepac), sob a supervisão de professores de educação física, que são contratados pela prefeitura para atender o time.

Leia a seguir a entrevista com o atleta que fala sobre a cerca de sua dedicação à Bocha adaptada

Como surgiu o interesse pelo esporte?
Fui convidado por uma pessoa maravilhosa, que hoje é meu treinador, mais conhecido por DUDI. Achei que seria uma forma de fazer algo diferente.

Contou com algum incentivo da família ou de amigos para praticar a Bocha?
Sim. Tive incentivo não só da família, como, também, dos amigos.

Recebe algum tipo de patrocínio para praticar a modalidade?
Não tenho patrocínio algum. Represento a Cepac e os custos que por ventura tiver correm por minha conta, a não ser quando a Cepac promove bingos e, dentre os prêmios, sempre tem algum cuja a renda é para ajudar a comprar as bolas de bocha para podermos jogar com maior estabilidade.

Com que freqüência você vem se preparando para disputar o campeonato que acontecerá em Montreal?
Treino duas vezes por semana, às segundas e quartas, no Cepac e SESI, com muita garra para ficar seguro de que vou representar bem o Brasil lá fora. Não treino mais por falta de tempo, pois trabalho nos outros dias.

O que espera desse campeonato?
Espero mostrar a todos que deficientes também podem tudo: realizar seus sonhos e alcançar seus objetivos. Depois que peguei gosto por esta modalidade, sei agora que posso e vou vencer.

Como foi sua participação no campeonato que aconteceu entre os dias 16 e 20 de setembro, em Curitiba?
Foi ótimo. Fui muito bem recebido e me senti preparado para a disputa. Fui para conquistar o primeiro lugar, mas, com certeza, o terceiro lugar já me proporcionou uma grande alegria. Parabenizo o vencedor, pois mereceu ganhar. Adorei, conquistei a classificação e vou representar o Brasil com orgulho e coragem para vencer, mesmo que eu não ganhe o campeonato. Já me considero um vitorioso só pelo fato de eu ir e participar. Tudo isto mostra que ser deficiente não é ser doente e inútil, muito pelo contrário. Ser deficiente é poder mostrar a todos a nossa grandiosa eficiência

Enfim, o que o esporte representa para você?
Tudo! Ele representa garra, coragem e vida. Enfim, uma grande vontade de viver cada vez mais.
Fonte: Sentidos

6 de out de 2009

Brasília terá primeira central de atendimento a deficientes auditivos

Um convênio entre o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Instituto Cultural, Educacional e Profissionalizante de Pessoas com Deficiência do Brasil (ICEP Brasil) vai criar a primeira Central de Libras do país. A central de atendimento poderá dar suporte técnico de comunicação às pessoas com deficiência auditiva que precisem entrar em contato com o setor público ou privado. O trabalho da Central de Libras será agendar o serviço de intérprete. O deficiente auditivo e seu acompanhante poderão solicitar o serviço via e-mail, mensagem de celular ou ligação comum. Dessa forma, pessoas com dificuldades auditivas poderão receber ajuda em bancos, hospitais, delegacias ou qualquer outro órgão que não possua intérprete de libras.

A primeira Central de Libras do país deve ser implantada em Brasília. A inauguração está prevista para novembro. A central funcionará 12 horas por dia, com oito intérpretes de sinais, cinco operadores de telemarketing e diversos técnicos trabalhando no projeto. Durante assinatura do convênio, o presidente do ICEP Brasil, Sueide Miranda, ressaltou a necessidade de um mediador no processo de comunicação do deficiente. "Dessa forma a pessoa com deficiência auditiva vai conseguir ser atendida em um hospital. Esse projeto simboliza um avanço no Distrito Federal."

Paulo Humberto Matos de Alencar, presidente da Associação dos Surdos de Santa Maria e Entorno, expressou com auxílio de uma intérprete sua opinião: "É muito importante termos intérpretes, podermos ir a outros lugares com a ajuda de alguém. Agradeço ao ICEP Brasil por esse projeto".

O Ministério da Ciência e Tecnologia vai investir R$ 350 mil nas obras da Central de Libras. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 5,7 milhões de brasileiros são deficientes auditivos.